Governo Federal bancará Reprodução Assistida

Matéria do Jornal da Tarde por Felipe Oda

Tratamentos de reprodução assistida podem custar o preço de um carro popular em clínicas particulares e as filas de espera na rede pública passam de três anos. Mas, em São Paulo, há outras alternativas para driblar a dificuldade de engravidar, uma condição que vem se tornando cada vez mais frequente no País e no mundo.

Financiar o procedimento de fertilização em até três anos, por exemplo, é uma opção que estará disponível na capital a partir do próximo semestre.

A ideia da gestação financiada é do Programa Acesso, um dos serviços que subsidiam parte do tratamento para casais inférteis, mediante alguns critérios. “Conversamos com parceiros para oferecer juros atraentes, abaixo do que é cobrado por cartões de crédito”, afirma o biomédico Floriano Moreira de Andrade, um dos responsáveis pelo serviço.

O Projeto Acesso garante ainda descontos em medicamentos e honorários médicos. Nessa mesma linha há o Instituto Sapientiae e o Projeto Alfa, que oferecem tratamentos com descontos de 40% a 100% para as futuras mamães. Essas alternativas ajudam a atender uma demanda crescente: a Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) estima, com base em pesquisas internacionais, que a quantidade de gestações de laboratório tenha aumentado de 20% a 25% entre 2008 e 2010.

Mas a oferta de tratamentos está longe de suprir a procura por eles no País. Cerca de 30 mil ciclos de fertilizações in vitro (FIV), por exemplo, são realizados anualmente. “O Brasil precisaria fazer, contudo, cerca de 150 mil fertilizações in vitro por ano para atender sua demanda”, garante o presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), Adelino Amaral Silva. Por isso, é grande a disputa por tratamentos totalmente gratuitos, oferecidos em São Paulo pela Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Hospital das Clínicas e do Centro de Referência em Saúde da Mulher (Pérola Byington).

Antes de chegar ao Instituto Sapientiae, o casal Aparecida Valéria Ranea Gomes e Carlos Eduardo Bandeira Stedo, ambos de 33 anos, já havia tentado o Pérola Byington. A fila, contudo, era assustadora: três anos, no mínimo, podendo chegar a quatro. “Por outro lado, pagar por um tratamento estava fora da nossa realidade”, diz Stedo, que trabalha como motoboy. O preço de uma FIV é de cerca de R$ 16 mil – isso, sem contar remédios e outros procedimentos, como congelamento de embriões ou compra de sêmen.

Seleção apertada
Para participar dos programas de reprodução assistida com desconto na capital são levadas em conta condições socioeconômicas. Alguns programas contam ainda com alguns outros critérios de inclusão. “Temos preferência por casais de São Paulo e a idade da mulher não pode ultrapassar 36 anos”, explica o diretor do Sapientiae, Assumpto Iaconelli. No Projeto Alfa, os critérios são mais flexíveis: são aceitos casais gays e mulheres solteiras, sem limite de idade. Por lá, o desconto no tratamento varia de 40% a 100%.

Por ano, aproximadamente 5 mil crianças são geradas no País por meio da reprodução assistida, levando-se em conta técnicas de fertilização in vitro e de inseminação intrauterina, de acordo com estimativas da SBRH. Mas esse número, garantem os especialistas brasileiros, segue uma tendência de aumento, sobretudo em São Paulo. Cerca de 40% das 200 clínicas que trabalham com reprodução assistida no País estão no Estado paulista, diz a SBRH.

Na semana passada, a inauguração das novas instalações do Pérola Byington, com a promessa de dobrar a capacidade de fertilizações gratuitas de 300 para 600 por ano, pode ajudar a aliviar a situação de São Paulo. A instituição, contudo, atende casais do País todo e até mesmo de outros países da América Latina.

Governo federal bancará reprodução assistida

Do UOL 08/03/2012 - 16h32
 
Os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio Grande do Sul arcam com os gastos do procedimento
  • Os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio Grande do Sul arcam com os gastos do procedimento
O Ministério da Saúde pretende incorporar a reprodução assistida à tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).

A pasta informou ainda não ter previsão de quando serão definidas as técnicas que passarão a constar no rol dos procedimentos este ano.

Hoje apenas os procedimentos laboratorais, como exames clínicos para a mulher que deseja passar pelo procedimento, são oferecidos pelo SUS. No entanto, alguns Estados como São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio Grande do Sul oferecem o serviço.

Com a incorporação da reprodução assistida à tabela, aumentará o número de hospitais que realizam gratuitamente os procedimentos, ampliando o número de mulheres atendidas e diminuindo a fila de espera para o tratamento - que, hoje, é de pelo menos quatro anos nos serviços oferecidos pelo Estado de São Paulo.

O SUS pagará o tratamento completo para mulheres com dificuldades para engravidar e sem condições de arcar com os gastos do procedimento - uma fertilização in vitro (FIV), por exemplo, pode custar até R$ 20 mil.

Hoje, seis hospitais do país realizam gratuitamente procedimentos de reprodução assistida e todos os casos são pagos pelos governos estaduais.
(Com Agência Estado)

9 comentários:

Alessandra Santos. disse...

Tomara que em breve todas as mulheres possam ter acesso a esse tipo de financiamento. Será muito válido. Um beijo querida.

Vivi disse...

Mto bom... afinal, todas deveriam ter o direito de lutar por seus sonhos!!

Val, tem uma coisa q nao entendo... em todas as entrevistas q vejo, falam q uma FIV custa em média 16 a 20 mil reais... mas tenho uma colega de trabalho q fez na Huntigton (uma das mais caras) e ela pagou por volta de 10 mil mais medicamentos... mas ela ja achou valores de 12 mil até 6 mil (sem programas de desconto)... entao nao entendo por que falam em valores proximos a 20 mil....

to comentado isso, pq vc q ta por dentro do assunto, talvez saberia sanar essa curiosidade...rsrs


bjus Valzinha

Bianca de Neve disse...

Podem facilitar do jeito que for, mas ainda será algo irreal para algumas de nós, principalmente se precisarmos de mais tentativas. Dói muito ouvir o quanto se tem comentado sobre aborto e não olharem para mulheres que querem dar continuidade a vida...nossos tratamentos deveriam ser custeados pelo governo, isso sim! Muito bom seu post. bjs

Bianca de Neve disse...

Continuando o que a Vivi comentou, fiz meu tratamento em uma clínica em Contagem, fui doadora de óvulos e meu tratamento não chegou a R$7 mil, ainda não serei mamãe, mas vou continuar tentando na mesma clínica, pois a equipe médica é muito carinhosa e os preços não são abusivos. bjs

Dinha disse...

Val,

Não fica triste, temos esperar mais um pouquinho...
Pra falar a verdade já até acostumei com estes pequenos obstáculos....espera mais um pouquinho e logo terá o seu bebezinho!
Toda torcida por vc!

Bianca de Neve disse...

Eu adoro seu blog, de verdade, aqui fico bastante informada e encorajada. bjs

Vivi disse...

Valzinha, gostaria de conversar mais com vc...tem um email pra me passar? ou entao me manda um email pra vivicarvalho2000@yahoo.com.br. Entao, ja te adiantando sobre o assunto, tem essa clinica que a Bianca falou, eu pedi um orçamento semana passada, me disseram que é R$ 5.600,00 + 900,00 de US + medicaçao (que pode chegar por voltar de 3 mi e pouco, se nao me engano)... e tem tb a clinica matrix de ribeirao preto, que pesquisei na net e todos falam mto bem... parece ser mto bem estruturada, eles tem varios planos, mas o de gravidez garantida é 25 mil...entao... pensando que tem clinica que cobra 20 mil por uma tentativa, a Matrix vale a pena né.... eu tenho todos os valores e tabelas no meu email...é só entar em contato que te passo tudo... aliás, eu gostaria de saber suas indicações tb!! To ficando aflita já, nao sei até quando aguento essa angustia....


aguardo teu email....


bjussss

Lilica disse...

Muito, muito interessante. E uma ótima notícia!!

Tomara que muitos casais consigam, pra realizarem o grande sonho!!

Adorei!!

Beijos.

Ricardo Laerte disse...

Gostaria de informar um site que ajuda a ecomomizar em medicamentos nas farmácias online de todo o país.

http://www.maispreco.com

App iPhone
http://itunes.apple.com/br/app/mais-preco/id489866050?mt=8

App Android
https://play.google.com/store/apps/details?id=org.com.cnc.maispreco